A postura no violão clássico/erudito

tree

(acima, grupo de violonistas em festival recém realizado)

Combatendo a ideia errônea

Você já ouviu dizer que violão clássico se toca na perna esquerda e o popular na direita? Se você acreditou nisso, saiba que não é verdade. A postura ao se tocar violão depende muito mais da busca por saúde e eficiência técnica do que do gênero de música que você toca.

Este é outro daqueles assuntos que demandariam um livro para serem destrinchados em suas minúcias. Minha intenção aqui, contudo, é apenas transmitir uma ideia simples para o inciante de violão ou o violonista popular mais experiente que quer fazer a transição para o violão clássico: não existe apenas uma maneira correta de se posicionar o instrumento na hora de tocar violão (clássico ou não!).

O maior problema de acreditar que a chamada posição tradicional é a única correta (violão na perna esquerda, que se apoia sobre o banquinho) é que, dependendo de como você aplica essa postura, ela pode ser inclusive nociva à sua saúde. Não são poucas as histórias de gente que, mesmo sentindo dores ao tocar nessa posição, seguiu tocando assim, agredindo o próprio corpo, por acreditar que aquela era A maneira certa de se tocar violão clássico. Ou seja, ideias equivocadas podem trazer prejuízos concretos às pessoas.
A ideia de que, ao tocar violão clássico, basta adotar a postura citada acima e tudo está resolvido é perigosa por isso: os estudantes deixam de pesquisar e experimentar alternativas, e podem assim prejudicar a própria saúde. Minha intenção não é combater a postura tradicional em si, já que é possível alcançar uma maneira saudável de tocar através dela. Quero combater apenas o mito de que ela é a “correta” ao se tocar violão clássico.

Você encontra esse tipo de afirmação equivocada em muitos vídeos e cursos online pela internet, por isso é importante não acreditar em tudo que lê ou vê por aí (aliás, não acredite cegamente nem mesmo NESTE texto! Se discordar de algo, deixe nos comentários e tentaremos chegar ao consenso juntos.)

Pesquisa sobre postura é antiga e permanece viva

Não me importa agora discutir de onde vem esse mito, mas acredito que o fato de Andrés Segovia tocar com o violão na perna esquerda ajudou a consolidar a ideia de que isso é uma regra, já que ele é praticamente a representação do violão clássico no imaginário das pessoas. O que nem todos sabem é que no século XVIII e XIX já se utilizava e se buscava posturas diferentes. O espanhol Dionisio Aguado, nascido em 1784 e um dos compositores e intérpretes mais importantes do violão, desenvolveu um apoio chamado “trípode”, que você vê na imagem abaixo. Nada de violão na perna esquerda e apoio de pé!

aguado_tripode

Além disso, basta pensar no seguinte: se eu tocar Beatles com o violão na perna esquerda, a música passa a ser clássica simplesmente porque eu troquei de perna? Claro que não! O que define violão clássico/popular é o repertório que você vai tocar e a maneira como irá abordá-lo, tema discutido AQUI.

Postura com o instrumento é uma questão de saúde e eficiência técnica (alcançar um bom resultado mecânico com o menor desgaste/esforço possível). Não tem a ver com atitude, estilo musical, religião, ideologia política ou outra coisa qualquer. Enquanto você não se sentir confortável e com liberdade mecânica para executar músicas ao violão sem dores ou incômodos, sua busca por alternativas não pode parar. É a sua saúde que está em jogo!

A prova de que há alternativas

Para ilustrar o que estou dizendo, vou colocar a seguir uma seleção de vídeos de grandes violonistas clássicos que considero exemplos de músicos que encontraram uma boa postura – não agridem a própria saúde ao tocar e não demonstram dificuldades mecânicas. Você verá quantas possibilidades existem e espero que isso ajude a quebrar o mito de que só existe uma maneira certa. A ideia é nos afastarmos aos poucos do modelo tido como convencional (violão na perna esquerda, com o apoio de pé), em direção aos exemplos mais drásticos de soluções encontradas para a postura.

Como ponto de partida para tudo que se refere a violão clássico, o espanhol Andrés Segovia. Não que não houvesse tradição violonística consolidada antes dele, mas o fato é que tudo relacionado ao violão mudou após sua passagem pelo planeta. Somando-se a isso o fato de ser ele o primeiro grande intérprete do violão clássico registrado em áudio e vídeo de qualidade, o resultado é que o velho Segovia é a referência obrigatória no instrumento, inclusive para aqueles que pretendem se afastar de seu legado. Abaixo você o verá tocando magistralmente uma obra de Fernando Sor.
Repare como os ombros estão relaxados, a mão direita cai tranquilamente sobre o violão e o braço esquerdo viaja com leveza pela escala. Uma beleza!

David Russell é adepto da postura tradicional, como Segovia, mas reparem como seu violão fica bem mais alto e inclinado que o do mestre espanhol. Mesmo dentro de uma posição é possível chegar a inúmeras variações.

No vídeo abaixo, o grande João Carlos Victor toca com o violão sustentado por um apoio que o permite deixá-lo na mesma posição em que ficaria se fosse utilizado o apoio de pé, mas sem a necessidade de se erguer a perna esquerda. Isso é muio vantajoso: ao se erguer apenas uma perna, com o apoio de pé, inevitavelmente joga-se o peso do corpo para um só lado. Esse desequilíbrio é solucionado ao se usar o apoio do João (vejam como os dois pés ficam igualmente apoiados no chão. como se ele estivesse confortavelmente sentado sem o violão). É o tipo de apoio que passei a usar nos últimos anos, o Ergoplay! Ele permite inclinar o violão em todas as direções e é preso ao instrumento por ventosas.

ergoplay

Aqui o que é provavelmente o exemplo mais radical de mudança em busca de uma maneira confortável de tocar: Paul Galbraith. Alguma semelhança com o primeiro vídeo, do Segovia, a não ser o fato de ambos estarem relaxados em sua própria postura?

O brasileiro Everton Gloeden adotou postura parecida com a de Paul Galbraith, apesar de os acessórios serem diferentes. Novamente, fica claro que mesmo seguindo-se linhas gerais idênticas, o resultado prático pode sofrer variações ao se levar em consideração especificidades do corpo de cada músico.

Abaixo, o espanhol Ricardo Gallen tocando Bach (que até onde eu sei, não é um compositor popular, certo?), com o violão na perna direita! Não sei se é a postura mais indicada para tocar violão (eu não me sinto bem cruzando as pernas desse jeito), mas é um grande músico e não parece apresentar dificuldades técnicas por conta dela.

Existem inúmeros outros exemplos pelo youtube e nos festivais de violão (visite o mais próximo de você!). O que tentei mostrar aqui é que tocar violão clássico não depende de como você posiciona o seu instrumento, e sim da maneira como você pensa e encara as músicas que toca. Postura precisa ser pensada em função de sua saúde, acima de tudo. Converse com seu professor para encontrar a que melhor se adapta ao seu corpo e fuja das regrinhas prontas. Uma pessoa de 1,90m de altura provavelmente não irá tocar violão na mesma posição que alguém de 1,50m. Regras pré-estabelecidas só servem para gerar desconforto e frustração na hora de tocar.

Caso queira ficar por dentro dos futuros textos e conteúdos do site, assine a newsletter deixando seu e-mail abaixo e curta a página no facebook. Estou preparando alguns arranjos e transcrições para disponibilizar em breve aos assinantes da lista. Bons estudos!




Comments

A postura no violão clássico/erudito — 8 Comments

  1. Quem acha não tem certeza! O autor confessou isso e nos orientou a desconfiar dele mesmo. É lamentável , pois aparenta a síndrome de Pilatos . Cadê a escola das virtudes : Justiça , Fortaleza , Prudência , Confiança , Temperança , Sabedoria , Certeza , Segurança …..

    • Olá, Marco Antônio. É exatamente essa a minha postura em relação ao estudo: recomendo a todos que mantenham a chama da dúvida acesa. Isso nos leva à busca por mais informação e, consequente, enriquecimento intelectual, sabedoria.

      Você mesmo recomenda “Prudência”. É essa a virtude mais importante para quem lida com Música, além de Humildade diante de tão complexa matéria.

      Contenha suas certezas e você irá longe em seu caminho musical. Desejo sucesso. Um abraço!

  2. Verdadeiramente, boa matéria esclarecedora sobre postura, tirou minhas duvidas voltei a estudar violão erudito e estava sem posição adequada para a execução do instrumento.
    muito obrigado.
    Parabéns !

  3. Parabéns, ótimo artigo. Vou compartilhar com meu alunos, eu penso da mesma maneira que você. Mais uma vez ótimo trabalho e continuarei acompanhando seus artigos, me enriquece muito.

    • Obrigado por compartilhar, Bene! Fico feliz que esteja acrescentando a você, isso só serve de estímulo para que eu produza mais. Abração

Leave a Reply

Your email address will not be published.